sexta-feira, janeiro 13, 2006

Excertos (145.023/6)

[023/2006]
Derrota do cavaquismo ao alcance de uma mão com luva de punho vestida

(...)
Os 52,4% de Cavaco (do "cavaquismo") mostram que está ao alcance da mão fechada de punho vestido, forçá-lo à segunda volta (e o pânico da “segunda” é tão evidente que nos comícios de Cavaco já só se grita “à primeira, à primeira”) e aí batê-lo, batê-los, mostrando que Abril não morreu. Porque o "cavaquismo" sabe que, numa "segunda" contra um candidato que erga o povo de esquerda, ele, Cavaco e "cavaquistas", só podem perder, voltando a perder. E as mesmas sondagens, tal como todas as sondagens, indicam quem pode bater Cavaco na “segunda”, num cenário bipolarizador. Quem é que pode erguer o "povo de Abril" contra o restauracionismo "cavaquista". Quem nos pode restituir a energia cidadã, assumindo-nos como autores responsáveis do nosso futuro. Seria pedagogia paternalista minha dizer o nome da alternativa real e combativa para derrotar, mais que Cavaco, a peste do "cavaquismo". Mas, sempre confesso, só não o digo por saber que já o disse.
(leia o texto completo)
João Tunes
Blog Água Lisa

2 Comments:

At 5:30 da tarde, Blogger Reporter escreveu...

Sondagens, percentagens, bla bla bla.
Não sei porquê mas duvido que o povo português queira um PR assim (Cavaco).
Cavaco já viu a vitória mais perto. Se é que realmente a viu.
A máquina não é perfeita e tem estado a mostrar, aqui e acolá, o rabo do gato escondido. Isto é, os pontos fracos de Cavaco.
De facto, para o candidato da direita, nada melhor do que uma vitória à primeira. Que nunca seria uma vitória de primeira.
Porque o senhor tem medo, muito medo de uma segunda volta.
O que fazer? Talvez votar, primeiro, votar certo, depois. Votar certo, o que será?
O que estamos aqui a fazer, amigos? E por quem aqui estamos?
Um abraço

 
At 12:46 da manhã, Blogger Graza escreveu...

Em que Campanha se encontra tanta "força" nas palavras?....

 

Enviar um comentário

<< Home